Latest Post



O Blogger é uma vasta plataforma de blogs com milhões de blogs hospedados nele. Então, algum tempo antes do visitante aceder ao seu blog o Blogger introduz um redirecionamento específico do país. Por exemplo, um visitante da Índia que visita seu blog inserindo o URL abc.blogspot.com será redirecionado para abc.blogspot.inO Blogger introduziu o URL específico do país para fornecer um melhor suporte aos blogs locais. Hoje eu vou mostrar-lhe como você pode parar esse redirecionamento.

Antes disso, você deve estar se perguntando por que você deve parar o redirecionamento. A resposta é simples. Depois que o redirecionamento estiver ativado, você perde suas classificações Alexa e o suco Pagerank também. Isso não é saudável para o seu blogger blog. Portanto, para remover o redirecionamento, siga as etapas abaixo. 



Adicionando o JS


Precisamos adicionar o JavaScript que irá parar o redirecionamento. Então, para adicionar este script, primeiro vá para título do Blog → Modelo → Editar HTML. Pressione Ctrl + F e procure <head> e cole o código abaixo fornecido logo abaixo.





[code type="JavaScript"]< script type = ' text / javascript '> var blog = document.location.hostname; var slug = document.location.pathname; var ctld = blog.substr (blog.lastIndexOf (".")); se (ctld! = ".com") { var ncr = "http: //" + blog.substr (0, blog.indexOf (".")); ncr + = ".blogspot.com / ncr" + slug; window.location.replace (ncr); } </ script >[/code]

Depois de adicionar o código, salve o modelo. 

Você terminou. Agora, sempre que uma pessoa tenta visitar seu blog de outro país, apesar de ser redirecionado, ele estará no URL original 
do blog.

Cientistas criam "cargas da substância maravilha" em grandes quantidades pela primeira vez




  • Carbyne é uma forma  infinitamente  longa e verdadeiramente unidimensional de carbono
  • Acredita-se que seja 40x mais rígido do que o diamante e duas vezes mais rígido que o grafeno
  • O material permaneceu evasivo por anos, pois é  extremamente  instável 
  • Agora, pesquisadores desenvolveram uma cadeia de carbono ultra-longa de 6.400 átomos 






Depois de esquivar cientistas por mais de 50 anos, uma equipe de pesquisadores agora encontrou uma maneira de não só sintetizar o Carbyne, mas também a produzir em massa.
Esta forma unidimensional de carbono é pensada para ser mais forte do que qualquer outro conhecido pelos cientistas, superando a rigidez do diamante em mais de 40 vezes.
No novo método, os pesquisadores usaram um nanotubo de carbono de parede dupla para produzir cadeias de carbono estáveis ​​com comprimentos de gravação.

Para alcançar o novo comprimento, os pesquisadores criaram nanotubos de paredes duplas ao rolar duas camadas de grafeno. As cadeias de carbono ultra-longas foram então cultivadas dentro desses tubos, o que cria um ambiente estável. A figura acima é o interior de uma estrutura molecular de grafeno


Carbyne foi proposto pela primeira vez em 1885 por Adolf von Baeyer, que descreveu a existência de carbono acetilénico linear - ou uma cadeia de carbono infinitamente longa - conhecida como carbyne.
Mas, o pesquisador advertiu que ficaria evasivo devido à sua extrema instabilidade.


Dirigido por Thomas Pichler, pesquisadores da Universidade de Viena desenvolveram agora um caminho para produzir grânulos de carbono produzidos em massa com mais de 6 400 átomos de carbono.
Anteriormente, o comprimento de registro para uma mudança de carbono era de aproximadamente 100 átomos de carbono.

Para alcançar o novo comprimento, os pesquisadores criaram nanotubos de paredes duplas ao rolar duas camadas de grafeno.
As cadeias de carbono ultra-longas foram então cultivadas dentro desses tubos, o que cria um ambiente estável.
Este método permitiu que a equipe formasse cadeias de carbono mais de 50 vezes mais do que o gravador anterior.


Carbyne é carbono acetilénico linear, ou uma cadeia de carbono infinitamente longa.
Sua existência foi proposta pela primeira vez em 1885 por Adolf von Baeyer, que alertou que ficaria evasivo devido à extrema instabilidade.

Carbyne é uma forma unidimensional de carbono e é pensado para ser 40 vezes mais rígido do que o diamante e duas vezes mais rígido que o grafeno, superando todos os outros materiais de carbono em força.


"A prova experimental direta de cadeias de carbono linear ultra-longas confinadas, que são duas ordens de magnitude mais longas do que as cadeias comprovadas mais longas até agora, são um passo promissor para o objetivo final de desvendar o santo graal de verdadeiros alototros de carbono 1D, carbyne, "Disse Lei Shi, primeiro autor do artigo.


Depois de esquivar cientistas por mais de 50 anos, uma equipe de pesquisadores agora encontrou uma maneira de não só sintetizar o Carbyne, mas também de produzir em massa. No novo método, os pesquisadores usaram um nanotubo de carbono de parede dupla para produzir cadeias de carbono estáveis ​​com comprimentos de gravação


Carbyne é 40 vezes mais rígido do que o diamante e duas vezes mais rígido que o grafeno, superando todos os outros materiais de carbono em força.

Um material deste tipo seria útil no desenvolvimento de dispositivos futuros super-fortes, dizem os pesquisadores.
"Este trabalho forneceu um exemplo de uma colaboração muito eficiente e frutífera entre experiências e teoria, a fim de desvendar e controlar as propriedades eletrônicas e mecânicas de materiais de baixa dimensão e baseados em carbono", afirmou Angel Rubio.

"Isso levou à síntese e caracterização da cadeia de carbono linear mais longa. Essas descobertas fornecem o teste básico para estudos experimentais sobre correlação de elétrons e transições de fase dinâmica quântico em geometrias confinadas que não eram possíveis antes. '
Para confirmar a existência da cadeia, os pesquisadores utilizaram diferentes tipos de espectroscopia e dispersão de raios-X.

Os resultados revelaram que não é apenas estável nestas condições, mas as propriedades elétricas dependem do comprimento da corrente.
"Além disso, as propriedades mecânicas e eletrônicas do carbyne são excepcionais", disse Rubio, e sugerem uma série de novas possibilidades para o design de dispositivos nanoelétricos e optomecânicos ". 

[img featured="1" src="https://1.bp.blogspot.com/-Rwi5ehmBEwI/WXzN8Im_d6I/AAAAAAAACoY/GjiQEoUZVT4tHy3QLlTcDhorFSubfqSEQCLcBGAs/s320/3240667500000578-0-image-a-54_1460587063533.jpg"/]
[youtube featured="1" src="Ahgb6P26h3k"/]
[img featured="1" src="https://4.bp.blogspot.com/-p2cF4W_KzJ0/WXzOHP5YDWI/AAAAAAAACoc/f6n7bzsuWmc1jLyoHZ3xSN4RADXUNCjygCPcBGAYYCw/s400/3326977300000578-0-image-a-50_1460587056125.jpg"/]

[img featured="1" src="http://4.bp.blogspot.com/-zaFtqW7ugn8/VExM1ynP14I/AAAAAAAAAFQ/WrEwMNvHxYU/s1600/Night%2BCity%2BGlow%2BWallpapers%2B6.jpg"/]


Neste post vamos apresentar apenas um dos muitos diálogos do livro Engineering Ethics: Outline of an Aspirational Approach. (Ética na Engenharia: Esboço de uma Abordagem Vocacional)Trata-se de uma conversa entre um estudante de engenharia e outro de medicina, onde é possível notar que existe a possibilidade de considerar que a engenharia pode se comparar à medicina como uma profissão em que as pessoas podem escolher se serão motivadas ou não pelo pensamento de que a sua profissão, e seu próprio trabalho individual, dará uma contribuição valiosa para a sociedade. Vamos ao diálogo:

Estudante de Engenharia: Estou cansado de tanto ouvir sobre a ética na engenharia nas palestras de que participo. Por que eles insistem tanto nesse assunto? 
Estudante de Medicina: Ora, simplesmente você está com sorte em ter palestras desse tipo no seu curso. Nós, médicos, temos muito mais ética ensinada em nossos cursos do que vocês. Na medicina nós temos problemas com o consentimento, com a confidencialidade, com o aborto e com a eutanásia. O que há para ponderar em ética na engenharia? 
Estudante de Engenharia: Não tenho a mínima ideia. 
Estudante de Medicina: No meu caso, se eu cometer um erro, alguém poderia morrer. No seu caso, talvez alguém pudesse se suicidar após receber um telefonema desonesto... (rindo).
Estudante de Engenharia: O que? Você está “por fora”. Saiba que os engenheiros podem matar pessoas todos os dias, assim como os médicos. Aliás, aposto que os engenheiros matam muito mais pessoas do que os médicos. Pense em todas as armas existentes e que permitem realizar essa matança toda... 
Estudante de Medicina: Eu não havia pensado nisso. Pensando bem, talvez você realmente precise de ética para passar aos seus colegas a ideia de que não devem desenvolver mais armas. 
Estudante de Engenharia: Caso isso acontecesse, um bom número de médicos ficaria sem emprego, pois deixariam de atender às vitimas das nossas armas... 
Estudante de Medicina: Eu ficaria muito feliz com isso.
Estudante de Engenharia: Mas há boas razões para a fabricação de armas. A menos que você seja um pacifista – e sei que você não é – então você concorda que há situações em que precisamos de militares. E eles têm que estar armados, de alguma forma. 
Estudante de Medicina: Talvez... 
Estudante de Engenharia: Mas nós não apenas matamos as pessoas com armas. Mais de um milhão de pessoas são mortas por ano por acidentes automobilísticos em todo o mundo.

World Health Organization - Road traffic injuries: http://goo.gl/z2HB9t

Estudante de Medicina: Mas isso não é da responsabilidade do engenheiro... 
Estudante de Engenharia: Eu não tenho certeza. Mas não se esqueça dos acidentes de avião, pontes que caem, desastres nucleares, acidentes, derrames de petróleo. Mesmo quando o médico tenta matar as pessoas, ele normalmente só mata uma dúzia cada vez. Um engenheiro pode matar centenas - ou milhares - sem sequer tentar!
Estudante de Medicina: Realmente. Em contraposição, nós somos modelos de virtude. Pense sobre isso, eu não consigo imaginar uma profissão mais virtuosa. 
Estudante de Engenharia: Tenho dúvidas disso. Quero dizer, claro, os médicos estão lá para ajudar as pessoas, mas geralmente você trabalha uma pessoa de cada vez. Nós podemos afetar a vida de milhões de uma só vez. 
Estudante de Medicina: Será que encontrar a cura da lepra, da tuberculose e da varíola não teve valor? E a invenção dos antibióticos? Qualquer um desses salvou milhares, senão milhões de vidas. O que é que a engenharia tem que se aproxime disso? 
Estudante de Engenharia: Ok, mas ainda continua sendo apenas uma pessoa de cada vez, porém em sequência, mesmo que o intervalo de tempo entre cada evento seja mínimo. No entanto, a engenharia não trata apenas de automóveis e armas. Pense na irrigação, que levou à drenagem de grandes áreas de terra dos Países Baixos, por exemplo, e a rega de outras áreas que antes eram estéreis. Sem engenharia, as pessoas ainda estariam usando fazendas medievais. Elas mal poderiam alimentar-se, e muito menos a todos os outros. 
Estudante de Medicina: Você sempre tem uma saída... 
Estudante de Engenharia: Mesmo no campo dos cuidados de saúde, eu aposto que os engenheiros têm um impacto maior do que médicos. 
Estudante de Medicina: Agora você forçou... 
Estudante de Engenharia: Nem um pouco. O British Medical Journal teve um voto em 2006 sobre o maior avanço na medicina, e você sabe do que se trata?

BBC News - Sanitation ‘best medical advance: http://goo.gl/EHrRVX

Estudante de Medicina: Antibióticos? 
Estudante de Engenharia: Não! Vou te dar uma pista. Não foi a classe médica que levou o crédito. 
Estudante de Medicina: Essa não sei. 
Estudante de Engenharia: Saneamento. Água limpa. Pense nos casos de disenteria que você terá que cuidar. Havia pessoas que morriam de doenças que já haviam sido erradicadas, em grande parte graças ao uso de vasos sanitários dotados de ducha higiênica; o contato da pele com água contaminada causava o problema. Além disso, pode-se considerar o notável avanço na tecnologia de construção, permitindo que as pessoas vivam ou trabalhem em casas de melhor qualidade, em vez de favelas; sem falar do avanço no desenvolvimento de aquecimento para as casas no inverno e do ar condicionado no verão. Há também melhores estradas e sistemas de transporte, graças aos engenheiros. Você pode rir de mim, dizendo que eu somente desenvolvo automóveis, mas os médicos nos dias de hoje dependem de
pacientes e remédios que chegam até eles por meio de ambulâncias e em veículos refrigerados, respectivamente. Você jamais poderia realizar um transplante de coração sem engenharia! 
Estudante de Medicina: Ok, ok. Entendi. Você pode fazer algumas coisas boas também. 
Estudante de Engenharia: E quem você acha que faz as válvulas cardíacas artificiais que você coloca nos pacientes? Ou os marca-passos ? Ou os quadris artificiais e joelhos ? Todos vêm de engenharia ! 
Estudante de Medicina: Ok, eu disse. Ok. 
Estudante de Engenharia: E não pense que os médicos podem levar todos os méritos acerca dos remédios! Somos nós também – os engenheiros químicos. E quanto ao futuro ? O que a medicina pode oferecer ? 
Estudante de Medicina: O céu é o limite. Agora que temos o genoma humano mapeado estamos chegando a uma melhor compreensão dos genes e assim podemos realmente olhar para os seres humanos e desenvolver técnicas para acabar com as doenças. Nós podemos ser capazes de erradicar completamente a doença geneticamente herdada, e prever com precisão a chance de uma pessoa de contrair câncer ou doença cardíaca, de tal forma que as pessoas poderão modificar seus estilos de vida e assim evitar o pior. As drogas e tecnologia que estamos desenvolvendo podem prolongar a vida e melhorar a sua qualidade. E você ? Estudante de Engenharia: Essas são algumas coisas muito boas, eu admito. Mas eles não são apenas brinquedos para ricos ? Quer dizer, quem se beneficia com eles? As pessoas ricas nos países ricos. O que você está fazendo para os pobres em países menos ricos ? A engenharia oferece soluções para países menos ricos através da concepção de poços baratos, proporcionando a irrigação e permitindo a construção de hospitais e sistemas de transporte. 
Estudante de Medicina: Sim, mas outros engenheiros gastam seu tempo trabalhando em carros de luxo e jatos particulares. E o que isso contribui para a população pobre ? Muito dinheiro é gasto no desenvolvimento de carros, aviões e outros dispositivos chamados de “suprassumos” da engenharia e que têm levado à confusão em que estamos com o clima do mundo. Isso é uma mancha muito grande na reputação da engenharia, eu diria. 
Estudante de Engenharia: Eu não acho que você pode culpar uma profissão pelas consequências não intencionais de suas ações passadas. Não conhecemos médicos que teriam sido responsáveis pelas mortes de pessoas que utilizavam sanguessugas nos tratamentos médicos do século XIII ! 
Estudante de Medicina: Não, mas há uma pequena diferença no espaço de tempo entre as sanguessugas medievais e poluidores do século XX.
Estudante de Engenharia: É justo. E eu aceito que os engenheiros ainda podem estar contribuindo para o aquecimento mundial por não encontrarem soluções com rapidez suficiente, continuando a produzir bens que pioram a situação. No entanto, caso não haja engenheiros para resolver o problema do aquecimento global, teremos que voltar a viver em casa de pau a pique e com a agricultura no quintal de casa... 
Estudante de Medicina: Então, a sociedade pagou para levar-nos a esta confusão e agora a sociedade deve pagar para sairmos dela? Eu acho que você perdeu a sua vocação - a política soa mais em seu lugar. 
Estudante de Engenharia: Ha, ha. Seriamente, se quisermos manter nosso atual padrão de vida, a solução virá de engenheiros: parques eólicos, energia solar, mais veículos eficientes... somos nós que desenvolvemos essas tecnologias. 
Estudante de Medicina: Hmmmm.... eu não sei. Bom, que tal tomarmos uma cerveja ? 

 Quem se levantará por mim contra os malfeitores? quem se porá ao meu lado contra os que praticam a iniquidade? 

Se o Senhor não tivesse sido o meu auxílio, já a minha alma estaria habitando no lugar do silêncio. 

Quando eu disse: O meu pé resvala; a tua benignidade, Senhor, me susteve. 

Quando os cuidados do meu coração se multiplicam, as tuas consolações recreiam a minha alma. 
Pode acaso associar-se contigo o trono de iniquidade, que forja o mal tendo a lei por pretexto? 
Acorrem em tropel contra a vida do justo, e condenam o sangue inocente. 
Mas o Senhor tem sido o meu alto retiro, e o meu Deus a rocha do meu alto retiro, e o meu Deus a rocha do meu refúgio. 
Ele fará recair sobre eles a sua própria iniquidade, e os destruirá na sua própria malícia; o Senhor nosso Deus os destruirá.

Salmos 94:16-23 



14 de setembro de 2003 às 17:41:03 (USMC, 030904-M-7837W-010) 
Al Jumhuriyah al Iraqiyah - República do Iraque
Fotografia aérea de dois aviões C-130 Hercules dos Estados Unidos , atribuídos ao esquadrão de transporte de combustível doméstico 
marinho Two Thirty Four (VMGR-234), disparos de queima usados ​​para proteção contra ataque por 
mísseis de superfície ao ar durante a operação Liberdade iraquiana, 4 de setembro de 2003 
Al Jumhuriyah al Iraqiyah - República do Iraque

Lockheed AC-130 é uma aeronave de combate fortemente armada, cuja principal função é dar apoio a tropas terrestres. Este avião carrega uma série de potentes armas ligadas a sofisticados sensores e sistemas de mira, controle e navegação. Devido ao seu grande tamanho e por voar em baixa altitude (em média a mais ou menos 2,200 km) ele normalmente é utilizado principalmente para operações noturnas.[1]

Esta aeronave é uma variante do transportador C-130 Hercules. O corpo do avião é feito pela Lockheed Martin, enquanto a Boeing é responsável por sua conversão para uma aeronave de combate armada de apoio.[2]O AC-130A Gunship II foi feito para substituir o AC-47 Gunship I durante a Guerra do Vietnã. Somente a Força Aérea dos Estados Unidos possui este avião no seu inventário, utilizando as variantes AC-130U Spooky e AC-130W Stinger II[3] para apoio aéreo próximo, interdição e força de proteção, com o AC-130J Ghostrider vindo depois. Suas principais tarefas, além de proteção próxima tropas em terra, também incluem escolta de comboios e operações urbanas. As missões de interdição aérea consistem em busca de alvos aleatórios para bombardear. Sua frota está espalhada pelos Estados Unidos e por suas bases pelo mundo.[4] Uma de suas principais funções atualmente, especialmente na Guerra ao Terror, é apoiar o Comando de Operações Especiais(SOCOM).[5]

O AC-130 Spectre é fortemente armado em qualquer de suas variantes, com armas como o canhão de 20 mm M61 Vulcan, o Bofors 40 mm e o canhão 105 mm M102. A atualização no AC-130U "Spooky" traz um canhão de 25 mm GAU-12 Equalizer no lugar do de 20 mm, além de um sistema aprimorado de controle de fogo e maior capacidade de munição. O AC-130W vem com um canhão 30 mm, mísseis AGM-176 Griffin e bombas GBU-39 SDB.[6]


[lock]






[/lock]


[img featured="1" src="https://2.bp.blogspot.com/-PkTDlvH7Qas/WekVc5nClTI/AAAAAAAAC10/yPn4yMEy3Wg9dO18xSAMSrwqnLqgdvG2wCLcBGAs/s320/rIQvMeQ.jpg"/]
[youtube featured="1" src="DbbOiStr754"/]
[youtube featured="1" src="YVXBHNvpTcg"/]
[img featured="1" src="https://3.bp.blogspot.com/-iCXqd2EcoNE/WekVjKqXnOI/AAAAAAAAC14/9Hk0Poiu4ZUMr3dWskX4MCXE5gmMVqB2gCLcBGAs/s320/oIThoGO.jpg"/]

[img featured="1" src="https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/e/e8/US_Marine_Corps_KC-130_Hercules.jpg/800px-US_Marine_Corps_KC-130_Hercules.jpg"/]

This Blog is protected by DMCA.com

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.